Close
Close

No products in the cart.

Obrigado, Comendador

Obrigado, Comendador

(25 Maio de 2019)

Ao contrário da maioria, sinto que em parte deveríamos estar agradecidos ao C.B. pelas suas declarações na C.P.I.

Pelo menos, não apresentou laivos de perda de memória ou amnésia selectiva.

As suas respostas às questões que lhe foram colocadas demonstram exactamente o modo de agir e o respeito que tanto ele como os restantes implicados nestes processos têm por todos nós.

Para haver corrupção, são precisos pelo menos dois. Este falou de forma boçal, mas aberta; falta saber do(s) outro(s). Não creio que os mil milhões em dívida à banca sejam fruto de um assalto à mão armada. Alguém lhe facultou o dinheiro que todos andamos a pagar.

A arrogância e a boçalidade da sua postura foram o melhor abrir de olhos dos últimos tempos para uma população embalada nas redes sociais que adormece a contar casos de corrupção e impunidade como quem conta carneiros.

Depois de tudo isto, o C.B. passou, infelizmente, a sentir-se o bode expiatório de todos estes males. O que é extremamente injusto. Para que tal não aconteça, apenas nos deveria dizer os nomes dos senhores verdadeiramente responsáveis por tal descalabro. De preferência, da mesmíssima forma como falou na C.P.I. Pode ser que assim nos “entrem no ouvido” e os consigamos localizar nos actuais cargos que ocupam.

Quanto ao aviso do P.R. de que é preciso respeitar os órgãos de soberania, neste caso a A.R., acho que, para além do C.B., se deveria estar a referir também a mim.

Prometo que o vou tentar fazer, assim me dêem motivos para tal. Como, por exemplo, produzirem legislação que promova o combate à corrupção em vez de a proteger.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close