Close
Close

No products in the cart.

Revolta dos Youtubers

Revolta dos Youtubers

Recentemente, o artigo 13º da proposta de Directiva sobre o Direito de Autor no Mercado Único Digital suscitou uma enorme onda de indignação e protesto entre os youtubers e seus milhões, dezenas de milhões e centenas de milhões de seguidores.

Muitos destes artistas (?) não sei muito bem como se designam, líderes de opinião talvez (?), apelaram à revolta e a todo o tipo de contestações possíveis contra esta “postura” da Comissão Europeia (CE), alegando que poderia significar mesmo o fim da internet e de toda a liberdade de informação que nos proporciona.

Através dos parcos meios de informação que utilizo, jornais incluídos (sim, ainda leio em papel; já não se usa e não é ecológico, eu sei), continuo à espera da tão anunciada revolução. Afinal de contas, estamos a falar de muitos milhões de pessoas.

Confesso que nunca percebi bem qual a extensão real do poder destas pessoas, os youtubers, apenas costumo ficar siderado com os valores exorbitantes que auferem através desta actividade. Uma vez até me dei ao trabalho de assistir a um destes conteúdos, em que o protagonista opinava sobre qualquer coisa que não percebi bem, mas reparei que já tinha 3 ponto qualquer coisa milhões de visualizações, ou seja, o mesmo que a população de um pequeno país. Talvez naquele preciso momento estivessem uns 300 000 a assistir em simultâneo, tipo a Islândia toda com uma paragem cerebral.

Sou a favor da proposta de directiva, mas ao mesmo tempo torço para que todos estes seguidores se manifestem de uma forma proactiva e visível, algo que provavelmente farão pela primeira vez na vida. O direito à opinião é fundamental, e manifestá-lo também.

Talvez já o tenham feito através de emojis ou dislikes nos sites da CE, algo que me passou ao lado, ou então estão à espera que os pais saiam à rua para protestarem por eles.

Queria muito perceber as formas de protesto a adoptar nesta situação. Acredito que se todos estes seguidores ou pessoas virtuais, se assim o preferirem, se manifestassem de maneira visível e proactivamente, todos nós aprenderíamos mais um pouco.

Continuo à espera…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close